Funcionários d Prefeitura de Ilha Solteira estão recebendo treinamento para operar a usina de asfalto que será utilizada na pavimentação das vielas da cidade. O serviço deve começar em setembro.

 

O treinamento está acontecendo no câmpus II da UNESP. Nele, os funcionários estão aprendendo a operar a usina de asfalto, que foi recentemente reformada pela Prefeitura de Ilha Solteira. “Estamos treinando os funcionários, para que possamos iniciar o trabalho nas vielas. Essa usina estava parada há muito tempo e é preciso aprender a operá-la corretamente, para conseguimos um trabalho corretamente”, disse o prefeito Otávio Gomes.

 

Esse será o maior programa de pavimentação já realizado no Município. A expectativa é pavimentar, no mínimo, cem vielas até o final do ano, além de ruas de menor movimento de veículos. O objetivo é pavimentar um passeio por dia.

 

Reforma - A usina foi restaurada porque, além de ser mais barato do que adquirir uma nova, há uma grande necessidade e pavimentar as vielas e ruas de menor movimento de veículos. “Uma nova usina está avaliada em R$ 160 mil. Gastamos R$ 74 mil na restauração. A única coisa reaproveitada do antigo equipamento foi o reservatório. O resto, tudo foi substituído, além de ter sido modernizada”, disse o prefeito Otávio Gomes.

 

Na usina, é feito um asfalto frio, à base de água (lama asfáltica), que é o utilizado em vielas e ruas de menor movimento. Já em trechos de movimento intenso, como avenidas, é usado o asfalto do tipo CBUQ, que é quente. Para esse serviço, a Prefeitura continuará contratando empresas. Há, inclusive, várias licitações em andamento.

 

O secretário de Obras e Serviços Públicos, Sérgio Rezende, disse que existem 205 vielas com pavimento em Ilha Solteira, cem em estado crítico. São essas que serão priorizadas. “E não será um tapa-buraco. Vamos fazer uma nova pavimentação. A prioridade é fazer cem esse ano, no mínimo. E o restante o ano que vem”, afirmou Rezende.

 

Para iniciar a produção na nova usina, a Prefeitura já adquiriu o pó de pedra e pedrisco A licitação para a compra do “ligante” acontece no dia 17. Com isso, haverá material suficiente para tocar o serviço até o final do ano. “Com esse material, produzimos a lama asfáltica”, disse Rezende.

 

Otávio destaca que a usina, além de acelerar o serviço de pavimentação em Ilha Solteira, irá trazer economia aos cofres públicos. “A expectativa é que, com a usina, a Prefeitura economize até 50% do valor que seria pago, caso uma empresa fosse contratada para fazer o serviço”, afirmou Gomes.

 

 

Departamento de Comunicação