Das 1.600 espécies de escorpiões conhecidas no mundo, apenas cerca de 25 são consideradas de interesse em saúde. No Brasil, onde existem cerca de 160 espécies de escorpiões, as responsáveis pelos acidentes graves pertenceme ao gênero Tityus que tem como característica, entre outras, a presença de um espinho sob o ferrão.

A gravidade do acidente depende dos seguintes fatores:

  • Espécie do escorpião.
  • Idade da vítima (crianças até 14 anos e idosos compreendem o grupo de maior risco).
  • Presença de doença cardíaca.
  • Sensibilidade da vítima ao veneno do escorpião.

Principais sintomas do acidente:

Podem surgir um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Dor intensa no local da picada, que se espalha por todo o membro.
  • Náuseas, vômitos e salivação intensa.
  • Alterações cardíacas e circulatórias.

O que fazer em caso de acidente:

  • Procure orientação médica imediata na Unidade de Saúde mais próxima.
  • Se possível, capture o escorpião com cuidado e leve-o para identificação, em um recipiente seguro.

O que fazer ao encontrar um escorpião:

  • Comunique e solicite à Vigilância Sanitária uma vistoria para receber outras orientações. Telefone 3743-6082.
  • Principais medidas de prevenção:
  • Manter limpos quintais e jardins, não acumulando folhas secas, lixo e entulhos. 
  • Colocar o lixo em sacos plásticos fechados, para evitar baratas e outros insetos. 
  • Conservar camas e berços afastados, no mínimo, 10 centímetros da parede. 
  • Evitar que roupas de cama toquem o chão. 
  • Verificar cuidadosamente calçados, roupas, toalhas e roupas de cama, antes de usá-los. 
  • Não pendurar roupas na parede. 
  • Limpar periodicamente ralos de banheiro, cozinha e caixas de gordura. 
  • Rebocar frestas nas paredes, móveis e rodapés, para que não apresentem vãos. 
  • Usar telas nas aberturas dos ralos, pias e tanques. 
  • Proteger os predadores naturais dos escorpiões, como calangos, lagartixas, lacraias, corujas, sapos, macacos e galinhas. 
  • Manter as áreas limpas ao redor das residências, não acumular lenha e outros materiais que possam servir de abrigo para os escorpiões. 
  • Remanejar periodicamente material de construção que esteja armazenado, usando luvas de raspa de couro para proteger as mãos.

Características:

Os escorpiões possuem hábitos noturnos e vivem em locais propícios para o surgimento de insetos, tais como baratas, que são seus principais alimentos. Podem sobreviver longos períodos sem comida e água, escondidos em lugares escuros e úmidos, como frestas, fendas, atrás de móveis, calçados, roupas, panos, redes de esgoto, fossas, entulhos – madeiras, tijolos, telhas, pedras – e outros. Podem proliferar quando encontram ambientes favoráveis. O controle por meio de inseticidas ou outros agentes químicos é muito difícil. Para evitar a sua proliferação, é importante combater as baratas, alimento preferido dos escorpiões. Esses animais não são agressivos e causam acidentes apenas quando tocados ou comprimidos contra o corpo.

Onde encontramos:

Vivem sob pedras, madeiras, troncos podres, bromélias; alguns enterram-se no solo úmido, outros dão preferência às proximidades das residências humanas onde se escondem em entulhos, madeiras empilhadas ou sob lajes dos túmulos. As fêmeas parem seus filhotes (vivíparas) e não necessitam do macho para se reproduzir (partenogênese em T. serrulatus - escorpião amarelo).

Onde mais encontramos os escorpiões:

  1. Assoalhos e rodapés soltos; 
  2. Ralos de cozinha, banheiros e área de serviço; 
  3. Frestas e vãos de paredes; 
  4. Batentes de portas e de janelas; 
  5. Caixas e pontos de energia;
  6. Sistema de refrigeração de ar; 
  7. Vigas e telhados em porões, sótãos e forros no teto; 
  8. Móveis, cortinas, estantes, quadros, lareiras; 
  9. Roupas e sapatos; 
  10. Objetos empilhados ou jogados; 
  11. Armários sob pias ou gavetas; 
  12. Panos de chão e toalhas penduradas.