CHAMAMENTO PÚBLICO

A PREFEITURA MUNICIPAL DE ILHA SOLTEIRA torna Público que até o dia 15 de dezembro de 2017, às 17 horas, receberá as propostas de empresas interessadas em patrocinar o evento “Réveillon 2017”, visando o custeio de despesas de tal evento, com contrapartida de divulgação da logomarca da(s) patrocinadora(s) no material de divulgação do evento.

 

Clique aqui para acessar o edital

A Equipe da Vigilância Sanitária esteve presente da Feira do Verde da Escola "Arno Hausser" com a  mostra de criadouros do Escorpião, bicho barbeiro, Mosquito Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika vírus, febre chikungunya. 

Agentes da Saúde estão intensificando o alerta sobre os riscos de aparecimento de escorpiões na área urbana de Ilha Solteira haja vista a época do ano ser propícia para o surgimento do escorpião devido clima quente e úmido.

O escorpião se esconde em locais úmidos e escuros, como entulhos, tapetes, pias e tanques, além de túmulos do cemitério e margens de rio. A melhor formar de se prevenir é colocando tela em ralos e não deixar entulho e lixo doméstico exposto, pois esse material atrai baratas, e, conseqüentemente, escorpiões.

Outra orientação é tomar cuidado ao manusear sapatos, cobertas e cortinas e mexer em fundo de gavetas. Apesar de a espécie de escorpião amarelo ser mais agressiva, os cuidados também são válidos para evitar o aparecimento da espécie marrom, pois são peçonhentos e podem causar acidente.

Sintomas

A picada por escorpião leva à dor no local, de início imediato e intensidade variável, com boa evolução na maioria dos casos, porém crianças podem apresentar manifestações graves, como náuseas e vômitos, alteração da pressão sangüínea, agitação e falta de ar.

Em caso de incidente é necessário procurar, imediatamente, o pronto-socorro, para o bloqueio anestésico, já que o atendimento é de urgência. O paciente fica em observação e, em caso de desenvolver sintomas mais graves, que exija a aplicação do soro anti-escorpiônico.

O SOLETRANDO é uma ação prevista no planejamento, dentro do Projeto: "A Importância da Leitura", desenvolvido pela professora Maria Ivanilda.

O objetivo da Ação Soletrando é ampliar o vocabulário das crianças, melhorar a leitura e consequentemente a escrita dos alunos.

As palavras vão aumentando o grau de dificuldade de acordo com desenvolvimento dos alunos.

São trabalhadas várias dificuldades ortográficas da Língua Portuguesa, de forma que os alunos consigam assimilar as principais e fazer uso em outras palavras.

O soletrando acontece em algumas etapas, sendo que inicialmente é feita uma rodada com a turma inteira, sendo eliminadas as crianças que não acertam. E assim por diante, até ficarem apenas três crianças que foram classificadas em primeiro, segundo e terceiro lugar.

Essa ação é trabalhada com crianças do primeiro ao quinto ano.

A primeira versão ocorreu no ano de 2016 e superou as expectativas dos professores e de toda a equipe pedagógica, levando-os a efetivar a ação como parte do planejamento dos anos seguintes.

As crianças finalistas receberam medalhas de ouro, prata e bronze, em cada ano escolar. E as demais ganharam medalhas de participação.

Alunos finalistas:

1º Ano

1º D – Bruna

1º C – Eduardo

1º D – Miguel

 

2º Ano

2º C – Giulia

2º B – Matheus Henrique

2º E – Pedro Henrique

 

3º Ano

3º A – Heitor

3º B – Ícaro

3º A – Rayane

 

4º Ano

4º C – Pedro

4º C – Enzo Yuki

4º A – Lauane

 

5º Ano

5º A – Emily

5º A – Alisson

5º B – Matheus Marques

Neste sábado, 30, a partir das 17 horas, no Armazem Café do Ilha Shopping, acontece mais um encontro do Clube de Leitura “Ler É Viver”. Na ocasião, os participantes vão conversar sobre o livro “Budapeste”, de Chico Buarque. Edilva Bandeira, Mestra em Estudos Literários, mediará a conversa, e qualquer pessoa interessada pode participar, mesmo que não tenha lido o livro.

Em “Budapeste”, ao concluir a autobiografia romanceada “O Ginógrafo”, a pedido de um bizarro executivo alemão que fez carreira no Rio de Janeiro, José Costa, um ghost-writer de talento fora do comum, se vê diante de um impasse criativo e existencial. Escriba exímio, “gênio”, nas palavras do sócio, que o explora na “agência cultural” que dividem em Copacabana, Costa, meio sem querer, de mera escrita sob encomenda passa a praticar “alta literatura”. Também meio sem querer, vai parar em Budapeste, onde buscará a redenção no idioma húngaro, “segundo as más línguas, a única língua que o diabo respeita”.

Narrado em primeira pessoa, combinando alta densidade narrativa com um senso de humor muito particular, “Budapeste” é a história de um homem exaurido por seu próprio talento, que se vê emparedado entre duas cidades, duas mulheres, dois livros, duas línguas e uma série de outros pares simétricos que conferem ao texto o caráter de espelhamento que permeia todo o romance, e que levaram o professor José Miguel Wisnik a afirmar que se trata de “um romance do duplo'. Tenso e à vontade, cultivado e coloquial, belo e grotesco, “Budapeste” traz a perfeição narrativa de “Estorvo” e “Benjamim”, e confirma Chico Buarque como um dos grandes romancistas brasileiros da atualidade.

Para participar do Clube de Leitura “Ler É Viver”, basta apenas comparecer às reuniões, nos dias e locais combinados previamente. Não é necessário ter lido o livro para participar. Os encontros são mensais, e são os próprios membros do Clube que escolhem as leituras. No próximo encontro, em data ainda a ser definida, os participantes discutirão sobre “O Quinze”, de Rachel de Queiroz.